Acessibilidade Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > MINUSTAH: últimos militares do 26º Contingente retornam ao Brasil
Início do conteúdo da página

MINUSTAH: últimos militares do 26º Contingente retornam ao Brasil

Publicado: Terça, 10 de Outubro de 2017, 12h20


Fotos: Ala 13
Brasília, 10/10/2017 – Os últimos integrantes do 26º Contingente Brasileiro (CONTBRAS) da Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (MINUSTAH) retornaram ao Brasil na segunda-feira (10). Os 152 capacetes azuis chegaram no Boeing C-767 da Força Aérea Brasileira, que pousou na sede da ALA 13, em São Paulo.

Na capital paulista desembarcaram os militares do Exército Brasileiro, pertencentes ao Comando Militar do Sudeste. De lá, o voo prosseguiu para pouso no Rio de Janeiro, onde desembarcaram os integrantes da Marinha do Brasil, pertencentes ao Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais, e da Força Aérea Brasileira, componentes do pelotão de infantaria que compôs a missão.

O retorno da tropa faz parte de um detalhado processo de desmobilização, que foi coordenado pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), do Ministério da Defesa (MD), com apoio das Forças Singulares e da ONU. Esse processo terminará com a chegada do navio contratado pela ONU, ainda neste mês (outubro), transportando o material utilizado pelos contingentes ao longo dos mais de 13 anos de missão.

O 26º Contingente, último a compor a MINUSTAH, foi constituído pelo Batalhão de Infantaria de Força de Paz (BRABAT), com 181 militares da Marinha do Brasil, 639 do Exército Brasileiro, 30 da Força Aérea Brasileira, e uma Companhia de Engenharia de Força de Paz (BRAENGCOY), composta por 120 do Exército.

Missão Cumprida

Ao longo de 13 anos, cerca de 37,5 mil militares das Forças Armadas brasileiras (incluindo 213 mulheres) e 550 de Nações Amigas integraram as tropas da MINUSTAH.

As tropas brasileiras tiveram as missões de: contribuir para a manutenção do ambiente seguro e estável no Haiti; cooperar com as atividades de assistência humanitária e de fortalecimento das instituições nacionais; e realizar operações militares de manutenção da paz na sua área de responsabilidade.

Os maiores desafios enfrentados pela tropa brasileira foram a pacificação de Cité Soleil, no início da missão, além da atuação nos episódios do terremoto em 2010 e do Furacão Mathew, em 2016.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071

registrado em:
Assunto(s): missões de paz , minustah , haiti
Fim do conteúdo da página