Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Indústria de defesa

Projetos estratégicos da Aeronáutica

Publicado em Sexta, 21 Março 2014 17:34 | Última atualização em Sexta, 05 Maio 2017 14:46

Abaixo alguns dos principais projetos estratégicos de defesa conduzidos pela Força Aérea Brasileira:

F-X2 (Gripen NG)

Descrição: O Projeto F-X2, concebido para o reequipamento da frota de aeronaves de caça supersônicas da Força Aérea, contempla a aquisição, numa primeira fase, de 36 caças multimissão para substituir os Mirage 2000, desativados em 2013.

No processo de seleção da aeronave, cinco aspectos principais foram levados em consideração:

• Transferência de tecnologia;
• Domínio do sistema de armas pelo Brasil;
• Acordos de offset;
• Características técnico-operacionais;
• Fator comercial.

Ao final de 2013 o governo brasileiro optou pela aquisição da aeronave sueca Saab JAS 39 Gripen NG.

Importância Estratégica: A aquisição dessas aeronaves irá promover um enorme incremento nas capacidades de combate da aviação de caça. A defesa aérea do Brasil irá alcançar patamares das mais modernas Forças Aéreas do mundo. As características multimissão desse vetor, que incorpora tecnologia e interface com armamentos de última geração, irão permitir o seu emprego nos mais diversos cenários.

A montagem das aeronaves no Brasil, na fábrica da Embraer Defesa e Segurança em Gavião Peixoto-SP, e o desenvolvimento e transferência de tecnologias pelo Centro de Projetos de Desenvolvimento do Gripen irão gerar milhares de empregos de altíssimo nível técnico e incrementar as capacidades da indústria nacional.

Principais Benefícios:

• Elevação da capacidade operacional da Força Aérea Brasileira (FAB);
• Geração de empregos de alta qualificação durante as fases de produção em série e de desenvolvimento da versão brasileira;
• Internalização de novas tecnologias pela indústria nacional, com a transferência tecnológica no GDDN;
• Fomento à Base Industrial de Defesa.
Cronograma de Execução:
O Centro de Projetos de Desenvolvimento do Gripen, inaugurado em 2016, na cidade de Gavião Peixoto (SP), deu início a fase prática de desenvolvimento e transferência tecnológica no Brasil. O início da entrega das aeronaves está previsto para 2019, estendendo-se até 2024.

KC-390 (Cargueiro militar)

Descrição: O Projeto KC-X deu origem à aeronave KC-390, uma aeronave de transporte militar e reabastecimento em voo, capaz de operar em pistas com pouco preparo, localizadas em qualquer latitude e longitude do globo terrestre. 

O KC-390 substituirá, com vantagens, a frota de C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB). Essa aeronave será uma das mais importantes ferramentas da Aeronáutica para cumprir sua missão constitucional e prover a integração nacional, bem como a mobilidade estratégica necessária às forças de defesa do Brasil.

O Comando da Aeronáutica assinou contrato com a Embraer para o desenvolvimento, fornecimento de protótipos e preparação da industrialização da aeronave. 

Argentina, Portugal e República Tcheca são parceiros no desenvolvimento e fabricação de parte da estrutura do KC-390.

Importância Estratégica: O desenvolvimento do KC-390 irá projetar e solidificar o Brasil como um dos grandes produtores de equipamentos de defesa no mundo. Além de possuir grande potencial de exportação, a aeronave é um produto de alto valor agregado e poderá servir a um mercado de mais de 70 países.

Para atender às necessidades do País, tanto na sua missão de caráter militar, como a de ajuda humanitária, o KC-390 poderá ser empregado em qualquer latitude e longitude do globo terrestre, cumprindo missões como: auxílio em caso de calamidades públicas, apoio e ajuda humanitária internacional, suporte aos pelotões de fronteira, reabastecimento em voo e busca e salvamento.

Principais Benefícios:

• Elevação da capacidade operacional da FAB;
• Aumento das exportações (estudos indicam um mercado endereçável de cerca de 700 aeronaves, o que pode corresponder a, aproximadamente, US$ 20 bilhões de exportações em 20 anos);
• Geração de empregos de alta qualificação durante as fases de desenvolvimento e de produção em série;
• Domínio de novas tecnologias (o projeto implica domínio de sistemas de controle fly-by-wire, de sistemas de manufatura de ponta, do uso de novos materiais e da integração de software embarcado).

Cronograma de Execução: O desenvolvimento do KC-390 foi iniciado em 2009. Até o momento, três fases foram concluídas: a de estudos preliminares, a de definições iniciais e a de definições conjuntas. Restam, ainda, a fase de projeto detalhado (em execução), na qual é preparada a documentação da configuração final da estrutura, aerodinâmica, sistemas, tecnologias e processos de manufatura, bem como a fase de certificação, na qual as aeronaves protótipo serão certificadas atendendo as normas internacionais de aeronavegabilidade (certificação civil e militar).

Em 03 de fevereiro de 2015, a 1ª aeronave protótipo realizou seu voo inaugural. Um ano depois, em 28 de abril de 2016, foi a vez da 2ª aeronave protótipo. Desde o início da campanha de testes até o final de 2016, as duas aeronaves já realizaram mais de 800 horas de voo. O término do desenvolvimento da aeronave está previsto para o final de 2018.

PESE (Programa Estratégico de Sistemas Espaciais)

Descrição: O Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE) é apresentado pelo desenvolvimento e/ou aquisição de meios de lançamento, plataformas espaciais (como satélites de comunicações, sensoriamento remoto e determinação de coordenadas geográficas) e estações de controle de lançamento. Possui cunho civil e militar, pois tem o potencial de atender a toda esfera governamental.

Importância Estratégica: Voltado à implantação de infraestrutura fundamental para a Estratégia Nacional de Defesa, o programa traz capacidades militares estratégicas únicas. Entretanto, dado seu caráter dual, essa infraestrutura deverá ser também intensamente utilizada em aplicações civis, trazendo vários benefícios significativos ao governo e a toda a sociedade, mesmo em tempo de paz.

No âmbito da Defesa, o programa proverá a infraestrutura espacial necessária ao funcionamento de diversos projetos estratégicos, como os Sistemas de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz), de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA), de Proteção da Amazônia (SIPAM), entre outros.

Essa infraestrutura também deverá ser intensamente utilizada em suporte a ações de polícia e fiscalização dos mais variados ilícitos, contribuindo fortemente para a redução da violência e de atividades ilícitas no País.

Principais Benefícios:

• Diminuição da dependência de sistemas estrangeiros em áreas estratégicas de defesa;
• Geração de empregos de alta qualificação;
• Estímulo à criação/ampliação de cursos superiores e técnicos voltados à alta tecnologia;
• A tecnologia desenvolvida pode alavancar setores diversos da economia, por meio de spin-offs (neste caso, aproveitamento civil de tecnologias desenvolvidas com propósitos militares).

Cronograma de Execução: A partir da sua aprovação em 2012, terá um período de oito anos para sua execução. Uma fase importante deste projeto já está em execução, o lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). Com previsão para abril de 2017, na Guiana Francesa.

Fim do conteúdo da página