Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Indústria de defesa

Projetos estratégicos da FAB

Publicado em Sexta, 21 Março 2014 17:34 | Última atualização em Terça, 20 Maio 2014 15:07

A ilustração abaixo traz alguns dos principais projetos estratégicos de defesa conduzidos pela Força Aérea Brasileira. Clique no nome de cada projeto para saber mais a respeito da iniciativa.

 

KC-390 (Cargueiro militar)

Descrição:

O KC-390 será uma aeronave de transporte militar e reabastecimento em voo, capaz de operar em pistas com pouco preparo, localizadas em qualquer latitude e longitude do globo terrestre, em regiões como a Antártica, a Amazônia e o Pantanal. Quando estiver pronto, ele substituirá os C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB). Será uma das mais importantes ferramentas da FAB para cumprir sua missão constitucional e prover mobilidade estratégica às forças de defesa do Brasil.

A Força Aérea assinou contrato com a Embraer para o desenvolvimento, fornecimento de protótipos e preparação da industrialização da aeronave. Argentina, Portugal e República Tcheca são parceiros no desenvolvimento e fabricação de parte da estrutura do KC-390.

Importância Estratégica:

O desenvolvimento do KC-390 projetará e solidificará o Brasil como um dos grandes produtores de equipamentos de defesa no mundo. Além de possuir grande potencial de exportação, a aeronave é um produto de alto valor agregado e poderá servir a um mercado de mais de 70 países.

Para atender às necessidades do país, tanto na sua missão de caráter militar, como a de ajuda humanitária de âmbito civil, o KC-390 será capaz de ser empregado em qualquer latitude e longitude do globo terrestre, cumprindo missões como: auxílio em caso de calamidades públicas, apoio e ajuda humanitária internacional e suporte aos pelotões de fronteira.

Principais Benefícios:

  • Elevação da capacidade operacional da Força Aérea Brasileira;
  • Aumento das exportações (estudos indicam um mercado endereçável de cerca de 700 aeronaves, o que pode corresponder a, aproximadamente, US$ 20 bilhões de exportações em 20 anos);
  • Geração de empregos de alta qualificação durante as fases de desenvolvimento e de produção em série;
  • Domínio de novas tecnologias (o projeto implica domínio de sistemas de controle fly-bywire, de sistemas de manufatura de ponta, do uso de novos materiais e da integração de software embarcado).

Cronograma de Execução:

O desenvolvimento do KC-390 foi iniciado em 2009. Até o momento, três fases já foram concluídas: a de estudos preliminares, a de definições iniciais e a de definições conjuntas, encerrada em setembro de 2012, com a documentação da configuração final da estrutura, aerodinâmica, sistemas, tecnologias e processos de manufatura. Em outubro de 2012, foi iniciada a fase de projeto detalhado, com a construção de dois protótipos, realização de ensaios em voo e certificação civil e militar. O término está previsto para 2016.

A-1M (Modernização da aeronave AM-X)

Descrição:

O Projeto A-1M pretende modernizar as aeronaves A-1, o avião de ataque ar-superfície usado pela Força Aérea Brasileira nas missões de interdição, apoio aéreo e reconhecimento. A ideia é ampliar sua capacidade operacional e de sobrevivência em ambientes hostis. O projeto vai, ainda, instalar um reforço estrutural que permitirá aos A-1 alcançar quatro mil horas de vida em fadiga, o que vai ampliar a vida útil das aeronaves. Das 52 aeronaves A-1 existentes na FAB, 43 serão modernizadas.

Importância Estratégica:

O A-1 é a principal ferramenta de dissuasão da FAB. Possui excelente raio de ação e capacidade para transportar uma grande diversidade de armamentos. Modernizada, a aeronave poderá realizar ataques de precisão contra alvos de superfície, terrestres e navais, com o mínimo de perdas e danos, além de missões de reconhecimento aéreo com alta probabilidade de êxito, nos períodos diurnos e noturnos.

Com a modernização dos A-1, a FAB atenderá a diretriz da Estratégia Nacional de Defesa que dispõe sobre a dissuasão da concentração de forças hostis nas fronteiras terrestres, nos limites das águas jurisdicionais brasileiras, e impedir-lhes o uso do espaço aéreo nacional.

Principais Benefícios:

  • Acompanhamento da evolução tecnológica que a Força Aérea Brasileira implementou em aeronaves como o F-5M e o A-29 e que gerou profundas repercussões nas áreas operacional, logística e industrial;
  • Ganho na sobrevida das aeronaves A1 em mais de 20 anos;
  • Ampliação do período de operação das aeronaves, que será estendido até 2032.

Cronograma de Execução:

  • O A-1 encontra-se na linha de produção da Embraer. O primeiro protótipo, monoposto, realizou o primeiro voo em junho de 2012;
  • O segundo protótipo, biposto, realizou o primeiro voo em dezembro de 2013, e inicia a campanha de ensaios em 2014;
  • A primeira aeronave modernizada foi entregue em setembro de 2013. A partir dessa data, a cadência média prevista é de nove aviões/ano, com encerramento das entregas em meados de 2017.

VANT-FAB (Veículo aéreo não tripulado)

Descrição:

O Projeto Vant-FAB pretende dotar a Força Aérea Brasileira de um sistema completo de Veículos Aéreos Não Tripulados (Vants) e, ainda, desenvolver tecnologia nacional similar aos sistemas importados.

Além de garantir maior eficiência na defesa nacional, pretende-se que a Base Industrial de Defesa alcance um elevado nível de autonomia tecnológica, o que possibilitará o fornecimento de sistemas Vant que atendam os requisitos operacionais das Forças Armadas Brasileiras, em alinhamento com diretrizes definidas pelo Ministério da Defesa.

Importância Estratégica:

Os Vants recebem cada vez mais atenção de diversos países tanto para emprego militar como civil. Estes sistemas podem ser usados para apoio à segurança pública, controle de desmatamento e em operações de defesa civil. Para fins militares, o equipamento pode realizar missões de reconhecimento, vigilância, busca e resgate, e patrulha marítima. A utilização dos Vants permite a transmissão de imagens em tempo real de áreas de interesse, o que garante um ganho maior de dados de inteligência e tomada de ações mais rápidas.

Principais Benefícios:

  • Criação de empregos de alta qualificação no país;
  • Diminuição considerável dos custos de operação comparados à aviação atualmente empregada para os mesmos fins (vigilância, reconhecimento e sensoriamento remoto);
  • Diminuição de exposição ao risco de pilotos em ambientes hostis para hipóteses de conflitos armados;
  • Vigilância à distância, com alta definição de imagens, sem expor a aeronave a riscos de perdas;
  • Possibilidade de operação em todo território nacional com custos relativamente baixos de deslocamento;
  • Transferência de tecnologia para nacionalização de itens, com base em acordos de compensação (offset);

Cronograma de Execução:

O projeto é dividido em fases. A primeira foi concluída em 2012, com o desenvolvimento de doutrina de emprego e implantação do primeiro esquadrão na Base Aérea de Santa Maria.

Atualmente, está em curso a fase de desenvolvimento de tecnologia nacional para Sistema Vant, com o Projeto Vant-SNC (Sistema de Navegação e Controle), já concluído, e o Projeto DPA-Vant (Sistema de Decolagem e Pouso Automáticos).

Posteriormente, será realizado o desenvolvimento nacional de Sistema VANT de Reconhecimento. O Ministério da Defesa analisa requisitos conjuntos para veículos de média altitude. A Harpia Sistemas, uma associação da Embraer, Avibras e AEL, apresenta o Sistema VANT Falcão como possível solução.

Fim do conteúdo da página