Acessibilidade Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Áudios > Com a proximidade das Olimpíadas, Defesa reforça ações na fronteira com a Operação Ágata
Início do conteúdo da página
Áudios

Com a proximidade das Olimpíadas, Defesa reforça ações na fronteira com a Operação Ágata

Publicado em Sexta, 17 de Junho de 2016, 11h17 | Voltar à página anterior


Duração: 1'53" | CONFIRA O ÁUDIO ANEXO

17/06/2016

REPÓRTER: Mais de onze mil militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea participam nesta semana da Operação Ágata, realizada anualmente pelo Ministério da Defesa em parceria com outros órgãos governamentais para combater crimes na região de fronteira do País. Esta edição terá como foco principal o reforço de ações que possam ampliar a segurança do País durante a realização dos Jogos Olímpicos, como a maior intensificação em terminais viários, por exemplo. O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, detalha o objetivo da Operação.

SONORA: Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho: Essa Operação visa, principalmente, intensificar a presença do Estado na faixa de fronteira. Basicamente, visa o combate aos crimes transfronteiriços, contrabando, tráfico de drogas, aos crimes ambientais, mas, também, levar assistência, levar a presença do Estado às populações que vivem na nossa faixa de fronteira.

REPÓRTER: A Ágata Onze teve início no último dia treze e abrange uma faixa de fronteira que vai de Roraima ao Rio Grande do Sul, envolvendo os mais de dezesseis mil quilômetros, em onze estados. Além das ações de fiscalização, também são efetuadas ações de assistência social, conforme explica o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho.

SONORA: Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho: As ações de assistência social basicamente são consultas médicas odontológicas, Exames laboratoriais, noções de higiene básica para a população, corte de cabelo. São pessoas que estão situadas em áreas isoladas na fronteira do Brasil e que não receberiam essa assistência se não fosse pela Operação.

REPÓRTER: Além dos militares das Forças Armadas, a décima primeira edição da Operação Ágata conta ainda com mais de quatrocentos profissionais de órgãos como Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Brasileira de Inteligência, Ibama, Funai e Receita Federal.

Reportagem: Marina Mello

Locução: Fabrício Lázaro

registrado em:
Fim do conteúdo da página